sexta-feira, 17 de outubro de 2008

sinais diacríticos

O que os indivíduos modernos querem passar através de suas respectivas vestimentas? Os sinais diacríticos de uma pessoa definem o que ela é? Se montar está em voga? É difícil alguém sair de casa sem pensar na vestimenta que carrega. A moda, como conceito e prática, se fundamentou no século XIX. O ser humano, aí, nesse tempo, começou a pensar mais detidamente em suas vestes. Isto se deu na Europa, a massificação dos padrões de roupas; antes, se vestir bem era um previlégio dos nobres. Os dandys tiveram um grande papel nesse movimento. Não sabe o que é dandy? Dê uma procuradinha...
Porém, por mais que os padrões de vestimentas tenham se massificado a pouco tempo, o humano se veste desde à queda de Adão e Eva, quando eles comeram o Fruto da Árvore do Conhecimento do "Bem" e do "Mal". Nesta condição, eles se depararam com suas vergonhas. Tudo culpa da Serpente/Diabo/Sátanás. (risos...)
Então...
Passamos mensagens com o que vestimos? Traduzem ideologias pessoais? São simples traços de determinadas culturas, que se diferenciam aqui e acolá?Será que estamos no grande palco? Tal palco seria o magnífico teatro da vida, onde cada ser humano atua, literalmente, como um ator. A menor máscara existente é o nariz de palhaço. Uma das máscaras mais aceitáveis no mundo onde vivemos é o óculos escuro. Nele se esconde, se monta.
Não seriam as vestimentas máscaras e personagens que criamos dia após dia?


E viva Gisele Bündchen!

2 comentários:

Theo disse...

uhauhahuahua

genial!!!!

eu sempre pensei assim!

tenho até apelidos para minhas roupas.. feito:

hj vou de curinga, ou batmam, ou principe azu, ou rei , ou mestre do infinito, assim por diante!!!

huehuehu

BX

Theo disse...

e ....

VIVA GISELE!